quarta-feira, 9 de maio de 2012

Vamos?

http://www.mathematik.uni-bielefeld.de/~sillke/Twister/

Acho que já deu para entender, ao longo de tantos posts, que eu acredito que a vida seja um eterno jogo! Mudam-se os tabuleiros, os cenários, os oponentes, mas, o jogo está aí para ser jogado! 
Diante de tantas situações inusitadas, acredito que essa minha ideia tenha se transformado um pouco, e vou aqui explicar! Em primeiro lugar, sou Ferazzini, não posso generalizar que todos são iguais, mas uma característica muito marcante em mim e no meu pai é que: “Pagamos para não entrar em uma briga, mas quando entramos, pagamos o dobro para não sair.”
Hoje, acredito que tem gente que faz um jogo particular, sempre odiei isso!
A pessoa acaba sendo diferente perante algumas situações (se não tiver dando para entender, calma, eu explico)!
Quando ela está acompanhada, ela é uma, quando está sozinha é outra totalmente diferente!
Sempre odiei isso! Uma única vez fiz isso, e sinceramente me senti muito mal! Acho que acaba não fazendo bem para ninguém! Até pensei em entrar nesse jogo! Jogar esta partida, mas decidi não fazer!
Resolvi deixar meu oponente ganhar! Prefiro ficar na minha e não ser falsa do que mentir pra mim mesma!
Decidi me afastar! 
Estando o oponente em casa, na minha frente ou no inferno, eu não vou jogar mais!
Acho que é por isso que o twister e a maioria dos jogos só se joga com mais de um jogador!

Nenhum comentário:

Postar um comentário